sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Mestrado








Ah, que vida chata! Campo do mestrado em um lugar lindo... não tem preço!!!!

Fotos: Soraia Monteiro

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Trinta vezes 30

Quando a gente chega aos 30 a vida passa ter um novo sentido, os valores ficam mais forte, a família, a vida, tudo tem um significado especial. Embora não pareça, os meus dias de 30 estão chegando e não há como negar que esta fase seja repleta de emoções, alegrias, conquistas e porque não decepções. E os 30 me preenchem enquanto ser em eterna transmutação. Acho que é aí que mora a graça da vida... a supresa de não saber como será o amanhã e o depois. O novo sempre é mais novo e nessa viagem incansável vamos reaprendendo, redescobrindo e reinventando. Essa fase fantástica, porém cheia de dúvidas e crises me faz viver a dor e a delícia de ser uma mulher, parafraseando Caetano.
Pego-me tocada pela beleza das cores, das coisas, dos objetos e das pessoas, tudo me faz entender porque viver é tão bom. Acordar, ver o dia nascer, sentir aquela brisa gelada das 5:30 da manhã e um céu com cores que nos apresentam para um novo dia deixa-me mais perto de deus. Algo tão bom que eu não consigo definir, muito menos explicar. Sentir essa sensação do acordar e do nascer para jornada que se inicia, permite-me rever as coisas de um outro jeito, jeito mais simples e tranquilo. Entendendo que tudo tem o seu tempo e processo, somos natureza e por isso somos dinâmicos tendendo sempre ao equilíbrio. Vivemos em ciclos e fases, assim como a lua, a terra e os animais. Essa mulher que beira os 30 que gosta mais do dia do que da noite sempre foi assim, embora na adolescencia a vida bandida da noite outrora já a a conquistara, agora que tranquilidade, mas jamais inércia. Essa mulher não se aquieta, está sempre querando algo novo. São outros tempos, tempos apenas de lembranças, segredos e amores. A mulher de 30 agora já deixou de ser menina há um bom tempo! Essa mulher que vos falo traça sua metas e sempre está repleta de desejos, sonhos, conquistas... tanto na vida afetiva quanto na vida profissional. Está sempre querendo mais e mais, e mais um pouco. Nunca se cansa querer, mais e mais. Apenas quer senti e gozar junto com a vida, disposta a pagar todos os preços em buca da felicidade. embora, eu acredite que só há um sentimento que pode explicar verdadeiramente a razão do porque está mulher pulsa e almeja tanto a plenitude...
Talvez seja o amor maternal, porque que só a maternidade explica a razão e o sentido da vida, do amor eterno e incondicional, só essa amor é capaz de fazer o irracional sem compreendido. O desejo de ser mãe e de padecer no paraíso norteia o coração desta felina. Um dia, quem sabe ela vai procriar, amar sua cria e ser irracional quantas vezes forem precisas para ser compreendida. Aguardo por novas sensações, delícias e quem sabe a chegada da maternidade. Fico por aqui. Até em breve.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Meu pé esquerdo

É hoje, meu deus!!! Acordar durante a semana já não é uma tarefa fácil, imagine acordar para o mundo desabar sobre você!!!Pois é meus caros, o dia hoje não acordou de bom humor comigo, estou falando sério!!! Fatos inexplicáveis aconteceram comigo só nesta manhã! Sem exageros! Comecemos pela primera surpresa estão preparados? Acordei atrasada para academia, essa já é de praxe, acordar para malhar não é a melhor coisa do mundo, é uma torturaaaaaa para mim, mas quando acordo aí já foi... o speed é outro!!! Fico animadona e pronta para operação noivinha em forma, se pudesse dava uma volta ao mundo só na esteira! Só que hoje a história foi outra! Ao chegar, noto que algo falta na minha modesta bolsinha... mentiraaaaaaaaa puraaaaa!!! Mochilade malhaçã enorme mais bolsa de trabalho!Pense no peso, nem queira saber! Desesperada grito, fu... deu esqueci a merdaaaaaaaaaaaa do cartão de transporte! E agora, o que é que eu faço? Tô dura, sem um tostão furado para pagar a passagem do ônibus, o que eu faço: ir ao banco a essa hora (7:30) da mahã que é a maior furada ou risco mesmo de ser assaltada, ou voltar para casa, andar 10 min e pegar a porcaria do cartão? Isso que dá mudar toda hora de bolsa, porra de vaidade fashionista, não podia ir com a mesma bolsa? è não podia, o look que ia ficar brega, então tive que trocar! Tudo bem, vocês devem pensar:- só são 10 mim é perto, qual o problema de caminhar? Todo o problema do mundoooo porque a coisinha correu 1 hora na esteira e fez musculação, então as perninhas tadinhas... há as perninhas... estão pedindo arrego, ok? EPor isso eu já estava convencida de ir ao banco, cansada do jeito que eu estava, o banco seria minha salvação e já estava disposta a correr todos os riscos. Só que quando o susto parecia pouco, eu lembro que havia esquecido de trazer a toalha para me enxugar após o banho. Eu tomo banco na academia para não me atrasar para o trabalho. Nãoooo, o pior estava por vir, eu já tinha entrado no chuveiro, já estava toda molhada e ensaboada, pense na raiva... nem queira pensar quantos palavrões proferi naquela hora... tampem os ouvidos: - pqp,@,#, Fu, p, * ... tive que me enxugar com aqueles papés para enxugar as mãos no lavabo, que ódioooooo! Eses papéis mal enxugam direto nossas mãos, quanto mais uma mulher toda ensopada... que me conhece sabe o tamnaho e o volume da minha cabeleira!! Desisti da loucura de me enxugar com papéis, na verdade perdi a paciência e me vesti toda molhada, o mundo resolveu me sacanear, quem tá na chuva é para se molhar! Pena que hoje o dia amanheceu lindoooo, ensolarado e com pouca nuvens, não dava para eu que me molhei toda na chuva, fazer o quê? Ontem choveu e eu me molhei toda e hoje faz sol! Alguma vez a gente tem que se lenhar, hoje foi eu! Hihihihihihihi...
Fui toda molhada, fiz uma caminhada de 10 min até em casa e pego o bendito cartão, que havia ficad é claro na outra bolsa. Noto que havia esquecido a toalha pendurada na cadeira, xingo algumas vezes, tomo um copo de suco que a mamãe tinha acabado de preparar e saio correndo para não perder o buzú. Percebo que um carro está businando para mim, olho e vejo que a vizinha insuportável do segundo andar que nunca falou comigo, pelo contrário, sempre foi uma grossa me oferecendo carona, cada assombração que me aparece! Agradeço educadamente, mas não aceito a carona. Eu sei que todo mundo merece ter uma segunda chance, só que infelizmente ou felizmente, o caminho que ela me ofereceu não servia para mim. Continuando a missao, volto a correr para não perder o ônibus e felizmente consigo pegar, que felicidade!!! Eu já estava atrasada, mas com este ônibus neste horário, eu não chegaria tãooooo atrasada. Consigo sentar, pois ônibus está vazio, relaxo um pouco e vejo que não precisa ser estressar tanto por pequenas coisas, dou um suspiro e fecho os olhos. Foi só o tempo de eu fechar os olhos e o meu buzú bater! Aí meu deus, pensei: - que merda é essa? Nessas horas você se sente a criatura mais injustiçada do mundo ou melhor foi escolhida para o dia do tudo errado! Enfim, foi uma aventura e pouco só nesta manhã! Bom, meu caros, acho que vou me benzê e rezar para que nenhuma surpresa me pareça pelo resto do dia!!! Senão eu não vou aguentar, viu!!! Inté para todos! Fui!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

20 Anos Blues

Ontem de manhã quando acordei
Olhei a vida e me espantei
Eu tenho mais de 20 anos

E eu tenho mais de mil perguntas sem respostas
Estou ligada num futuro blue

Os meus pais nas minhas costas
As raizes na marquise
Eu tenho mais de vinte muros
O sangue jorra pelos furos pelas veias de um jornal
Eu não te quero
Eu te quero mal

Essa calma que inventei, bem sei
Custou as contas que contei
Eu tenho mais de 20 anos

E eu quero as cores e os colirios
Meus delirios
Estou ligada num futuro blue

Os meus pais nas minhas costas
As raizes na marquise
Eu tenho mais de vinte muros
O sangue jorra pelos furos pelas veias de um jornal
Eu não te quero
Eu te quero mal

Ontem de manhã quando acordei
Olhei a vida e me espantei
Eu tenho mais de 20 anos


Elis me acaba, me corta, me joga, me faz sentir tantas coisas... simplesmente a amo!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Entre duas almas

Nem mesmo a falta de esperança me faz desistir... um sopro de brisa...
Meu mar de alegria e acalanto fica alí bem quietinho, longe do meu corpo, mas junto do meu peito.
Menino do monte dois irmãos e do cristo redendor
Chegou a sua hora
Vai meu menino, vai sujar seus pés de lama... vai conquistar novos horizontes.
Eu estarei sempre aqui, sempre do mesmo jeitinho que você me conheceu.
A pele morena e a cabebeleira volumosa.
Sente meu cheiro de alecrim e minha pele macia.
Sua hora chegou e agora você tem que partir.
Guarda sempre meu sorriso que te farei feliz em tuas lembranças.
Deixe que as lágrimas escorram por tua face e aliviem a tua saudade.
Estarei lá em teus sonhos e fantasias.
Quando você acordar eu te darei meu sorriso, meu colo e meu ventre... para você se aquecer no escuro e nos dias de trovão.
Agora corre meu menino para não peder a hora.
Eu tenho que ir e você também... já já nos encontraremos nos sonhos.
Viajaremos para um lugar bem distante.
Daremos as mãos e voaremos juntos nesta história.
Deite-se e se deixe levar pelo sonhos.
Tenha bons sonhos, meu pequeno.
Boa noite e durma bem!

Texto: Soraia Monteiro