quinta-feira, 19 de novembro de 2009

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Não sei como dizer...

Olhinhos miúdos puxados, pele morena e estrutura forte... Magra... Dedos longos, porém tortos... Resquícios da vida de atleta... Pés grandes nordestinos a sustentam... Engraçada, às vezes sem noção... Misteriosa, triste... Olhar distante, muitas vezes não sei para onde voa... Deve ser tão longe que eu não consiga alcançar... Generosa, dura, sofrida... Cabocla... Cigana... Uma Yansã mora dentro de ti... Do parto natural deu a vida a três meninas... Guerriou sem jamais perder a esperança... Foi a caça.... O alimento trouxe a mesa... Nunca faltou... Força viril... Mulher... Coração esperança... Tua fé move montanhas, eu sei disso... Só que às vezes minha descrença te incomoda... Mas somos diferentes... Mulheres que se amam, que se desencontram, que se partem... O amor é maior, é intenso, inexplicável, é a toda hora, a todo instante... Mas muita mulher junta, os conflitos e crises irão aparecer... Já choramos, gritamos e rimos juntas... Cada conquista você sempre esteve lá, do seu jeito tímido, introspectivo, embora seu coração estivesse pulando de alegria... Você sempre lembrava que a próxima etapa estaria por vir... Que a humildade nunca nos faltasse, você dizia! Tua criação me ensinou a ganhar e a perder... Obrigada! Muitas vezes sinto vontade de dizer o quanto a amo... Acho que você sabe... Sinto vergonha, sei lá... É tão difícil explicar... Gostaria de dizer mais vezes... Quando eu digo é daquele jeito rápido, quase atropelando as palavras... Eu reclamo, chamo sua atenção, mas tudo é para seu bem... Sou muitas vezes dura, seca, racional demais... Esqueço que certas palavras magoam... Devia ter mais cuidado... Você sabe o quanto somos unidas... Parecidas não no físico, mas na personalidade... A temosia!!! Teimo em admitir, mas não tem como negar... Sinto orgulho... Sinto amor... Sinto tua força em mim... Sinto seu cheiro... Sinto gratidão por você minha mãe... Meu amor eterno... Infinito, único... De outras vidas... Estaremos juntas... Não importa onde esteja meu coração é seu...
Ps: Minha seca malhada do meu coração... Hihihihih... Te amo, te amo, te amo.... Um dia, eu juro... Eu tornarei seus sonhos em realidade! Fico por aqui senão o teclado vai afogar de tantas lágrimas, tadinho... Hihihihihi... Até a próxima coleguimas, fui!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

CoiSas de NeRudA...

"Quando não te doeu acostumar-te a mim,
à minha alma solitária e selvagem,
a meu nome que todo afugentam.
Tantas vezes vimos arder o luzeiro
nos beijando os olhos e sobre nossas cabeças
destorcer-se os crepúsculos em girantes abanos.
Sobre ti minhas palavras choveram carícias.
Desde faz tempo amei teu corpo de nácar ensolarado.
Chego a te crer a dona do universo.
Te trarei das montanhas flores alegres,
copihues, avelãs escuras, e cestas silvestres de beijos.
Quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejas."

Pablo Neruda

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Ser ou não ser eis a questão...

Em tempos de globalização o que dá mais certo são os pacotes homogêneos... Tudo igual, sem cores, sem brilhos, sem novidade... Falta graça e criatividade... Seguir modelos, padrões, metas, medidas, tamanhos estabelecidos... Chapéu azul anil nem pensar! Preto e branco já dá! Ficamos todos iguais... Mas não era para ficar diferente? Trocar informações com outras culturas, misturar? Estamos mais próximos, as distâncias encurtaram, o tempo evolui em segundos... Ficamos mais rápidos e mais lentos... Tôlos e ainda não conseguimos aprender com as diferenças... Praticamos o exagero e o desafeto... A raiva, a impunidade, a injúria, a hostilidade... Sentimentos banais que se tornam cada vez mais inerentes aos homens, embora bem me lembro que CAPRA,(1980) coloca que nós, homens não nascemos com estes sentimentos: raiva, ódio, injúria e etc., e sim os adquirimos com a nossa própria construção social... Infelizmente ficamos com a segunda opção e com o discursos eloquentes bem demodée... Pasmem com veemência... São os tais "corolários" que não nos deixam negar... Onde foi que tiraram isso? Só sei que quem acredita, acredita e pronto! Então não ouse em questionar! Julgar o outro não só pelas diferenças é fato, mas aplicar juízos de valores insensatos, frágeis, superficiais... Passou de todos os limites... Homens e mulheres covardes... Amedrontrados... Escondidos, indefesos, reféns dos seus próprios discursos... Da criação dos seus juízos... Da culpa ou dúvida?O que faz de nós tão melhores que os outros? Julgamos os outros por terceiros... Julgamos por julgar... O que é certo e o que é errado? Me digam por favor! Sinceramente eu não sei e nem quero saber... Prefiro conviver com o diferente, aprender com o mesmo... Prefiro não chegar a nenhuma conclusão... Prefiro mentes vanguardistas... Prefiro um vestido curto exibindo as pernas do que viver na escuridão de uma sociedade machista... Prefiro sair do padrão... Ser excêntrica... Ser assim... Do meio jeito... Ser mulher e lutar pelo meu espaço, pela dignidade... Ser ou não ser diferente é a sua escolha.. Eu já fiz a minha opção... Ser universal... Até a próxima viagem!Tchau!
Texto: Soraia Monteiro.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

ArNalDo...GêNio!

a coisa mais moderna que existe nessa vida é envelhecer a barba vai descendo e os cabelos vão caindo pra cabeça aparecer os filhos vão crescendo e o tempo vai dizendo que agora é pra valer os outros vão morrendo e a gente aprendendo a esquecer não quero morrer pois quero ver como será que deve ser envelhecer eu quero é viver pra ver qual é e dizer venha pra o que vai acontecer eu quero que o tapete voe no meio da sala de estar eu quero que a panela de pressão pressione e que a pia comece a pingar eu quero que a sirene soe e me faça levantar do sofá eu quero por Rita Pavoneno ringtone do meu celular eu quero estar no meio do ciclone pra poder aproveitar e quando eu esquecer meu próprio nome que me chamem de velho gagá pois ser eternamente adolescente nada é mais demodé com os ralos fios de cabelo sobre a testa que não pára de crescer não sei porque essa gente vira a cara pro presente e esquece de aprender que felizmente ou infelizmente sempre o tempo vai correr não quero morrer pois quero ver como será que deve ser envelhecer eu quero é viver pra ver qual é e dizer venha pra o que vai acontecer eu quero que o tapete voe...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A alma

A alma reflete, transpira, brota... Odores, perfumes, recomeço...
A alma não cala não mente não finge...
A alma transmite, transmuta, transforma...
A alma preenche... Aconchega, brinca, baila...
A alma enfeitiça... A alma é mulher
É certeza
É a dor...
A alma é doce, aspéra, seca, límpida...
A alma transparece o incompreensível...
A alma fala, tem desejos, força...
A alma é uma mulher guerreira, forte, valente...
A alma caminha, vagueia, procura...
A alma é andar de pés descalços sem ter hora para chegar...
poesia: Soraia Monteiro

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Mas a vida vai melhorar... Vai melhorar...

O que será de nós nobres cavalheiros? Seremos sempre conduzidos como vacas prontos para ordenha? Seremos objetos e não sujeitos... Passivos... Nunca agentes da nossa história?Mais uma vez eles mandaram avisar... Mais uma vez... O MST sofre retaliações e tudo fica numa boa... Sabem por quem? Não... Vocês não sabem? Ora-ora.... A turma da pesada em serviço... Latifundiários e banqueiros como Daniel Dantas e Cia/ Ltda. Ajustam seus recursos e forças para garantir a soberania nacional... A terra produtiva, esqueceram? Monocultura da Soja ou pastagem torna latifúndio produtivo não sabiam? Agora pode tudo, até acusado vira vítima e pobre vira bandido... Mas a terra não tem função social? Mas aqui a terra é espaço para lobbys e muitos royalties...Desconcertante ter que escutar baboseiras... Sim senhor somos obrigados a ouví-las... Elas estão no ar para quem quiser ouvir ou assistir... Nada inocentes... Claro! Nessa inocência nada ingênua.... As matérias vão construindo idéias, opiniões forçando a construção de um senso comum sem críticas, mas com muitos critérios... Óbvio que o senso comum não deve ser renegado, sobretudo por que o mesmo carrega valores, sabedoria, embora é sempre bom ter certas desconfianças quanto a construção do mesmo... Devamos ficar atentos a tudo em alerta... No país dos banguelas os movimentos sociais são criminalizados e estão perdendo suas forças... Uma vez constituído poder pela militância... Os embates são fracos, quase inexistentes... Alguns empoderados, outros eloqüentes, sonhadores, militantes... Discrepâncias a parte, o fato é que latifundiários, empreiteiros,empresários e incorporadoras saem safos na opinião “ nacional”... É tanta massificação... Que tudo vai goela abaixo e não adianta questionar! Entres desvios de dólares para exterior, empresas fantasmas, desvios de verbas e super faturamentos das obras, o velho jeitinho se saí bem... Ô pobre memória falível prega cada peça não é mesmo? Os discursos são os mesmos, a pauta é sempre a mesma e a gente ainda sempre esquece... Pequenos ajustes já bastam... Prático para eles... Superficial para nós... Não tem mais discurso, viu! Ficamos encurralados, quem sabem encantados, ludibriados... Até o mais esperto caí no conto dos sete anões... Caí bem falar em PAC ( programa de Aceleração do Crescimento), meio ambiente, mudanças climáticas,desenvolvimento sustentável, será que eles sabem mesmo do que estão falando, sei lá... Sabe sim... O que importa é falar... Coloca tudo na forma e dá um bolo formigueiro que agrega todas as misturas... Coloca junto numa forma o Legislativo, o Executivo e o Judiciário...Para a massa não solar! Anda todo mundo junto, quer dizer... Todo mundo “fecha junto”... O bolo vai sair... Então está tudo em casa! Ham, ham... Está tudo na mesma cozinha... Mandou bem!!! Ganha eles,ganhou o povo!Ô povinho sofrido... Somos braços, pernas, cabeças e membros... O sistema e o organismo deste território nacional... O que seria deles senão nós, hein? Contudo os bons garotos estão sempre em ação... Mandam boas novas e votos de esperanças...Confiança minha gente brasileira, eles dizem... -O Brasil vai melhorar!Será? O crescimento econômico em boas pernas... Que venha a copa e que o drible perfeito seja mate no peito fazendo um golaço com as olimpíadas... Esse é o meu país! Não que eu seja contra a vinda da copa e em seguida as olimpíadas... Só concordo que neste país tudo termina em samba... Em bye, bye Brasil... Mas a vida, vai melhorar... Vai melhorar... Sigamos companheiros antes que anoiteça... Antes que eu chore de desgosto... De descrença... De raiva... De ódio... Confiem em mim... Brasil... Vai ser melhor! Desce uma cerveja gelada por favor! Até a saideira!
Texto: Soraia Monteiro

EstRanhO

Tédio... Somente o tédio me contempla neste momento...
O tédio percorre minha alma e somente ele conduz meus meus atos...
Meu instinto inato, estático, letárgico... Não faz... Não diz... Porque?
Hoje não tem ritmo, não haverá melodia, não tem bossa nova, nem rock roll...
Hoje não tem festa... Hoje é só hoje... Só agora...
O dia acordou diferente... O sol brilhou diferente... Eu acordei diferente?
Tédio... Tédio... Tudo está sem graça, sem cores...
Não vai ter festa na floresta... E o mar está mais mexido...
O azul do céu não é o mesmo... As cores perderam intensidade...
A dor é mais sôfrega... Lenta... Cortante... Embora incólume...
Sofro... Grito... Arranho... Choro...
Idónea prossigo... Sem medo... Permito o tédio...
Esse tédio nostálgico que me corta a garganta e me esquarteja...
Faz de mim o que quer e o que não quer... Joga, tripudia, escarcha, escancara...
Hoje somente hoje o tédio angustia meu coração... Será passageiro, espero... Será breve! Somente hoje... O tédio passa por minha janela... Manda recados dizendo que será passageiro... Só por hoje...
Texto: Soraia Monteiro

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Cerejeira


Perco-me no seu sorriso... E na cor da tua pele...
Faz-me da tua luz parte do meu universo...
Faz-me mulher... Faz-me ser única... A sua estrela
Pulsa junto a mim... Pulsa bem forte... Pulso vital...
Alimenta-me com teu sangue... Sejamos artéria e vida...
Increve-me no teu livro... Faça deste conto uma história...
Converte-me em ventre... Cultive frutos...
Dê-me insensatez convença-me com a loucura...
Procuras o céu... Olhe bem alto... Enxergue o universo...
Não queiras terra... Não anseje o sólido...
Deseje o ar, o mar e as nuvens... Construa uma frase...
Vai minha cerejeira... Brota doce, vermelha e cheirosa...
Do teu fruto brote sementes fortes...
Poesia: Soraia Monteiro

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Chegou novembro!!!

Chegou novembro!!!! E a o ano já está acabando... Aí que saudade!!! Foi tão rápido!!!Foi um bom ano... Com muitas mudanças, mas um bom ano! Esse mês tem uma cara de curtição... Um pézinho que antecede o verão e as férias... Que delícia! Mês em que a excitação aumenta... Bate aquela ansiedade... O mar fica mas bonito... O sol brilha mais intenso... O calor aumenta e as pessoas... Sim, as pessoas... Bom.... Ficam mais sexys... Frenéticas... Envolventes... Belas... Ah! O novembro... Reine o mês da mágia! Envolve-me no teu calor e na graça de viver no mês da alegria... Mês de Antonio, Mateus e de dona Aninha... Do escorpião... Faça me matéria e energia... Vibrações... Seja metade homem e metade cavalo... Cante para chegada do verão... Cante para os enamorados... Seja nove+ dois... Traga-me tua sombra e teu pôr-do-sol... Agracie-me com seus trinta dias de esperança! Até a próxima!!!
Texto: Soraia Monteiro